Golpe do Pix: você pode ser a próxima vítima, veja como se proteger - Guia Ponto Novo

Ads

Clique Aqui e conheça nosso Guia Comercial

Golpe do Pix: você pode ser a próxima vítima, veja como se proteger

Compartilhar


Pix é um sucesso. Eliminou a necessidade de tarifas de dezenas de reais que os brasileiros eram obrigados a pagar sempre que precisavam fazer uma transferência para outros bancos. Funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, dispensando o brasileiro do anacronismo de ter de esperar o expediente bancário para realizar uma operação.

Neste começo de agosto, acabou de passar da marca de 750 milhões de transações desde que entrou em operação em novembro do ano passado. Outra marca expressiva alcançada foi a de 100 milhões de usuários cadastrados, em julho.

Mas, como é natural na sociedade, junto com a solução chegam os golpes, que já existiam com pagamentos e transferências com dinheiro vivo, cartões de débito e de crédito, contas na internet e por aí vai.

A techfin Zipdin e especialistas apontam 6 recomendações para evitar que você caia no golpe do Pix. Veja a seguir:

1. Não clique em links recebidos por SMS, WhatsApp ou e-mail

Utilize apenas o site e o aplicativo do seu banco para fazer pagamentos, cadastrar seu Pix ou realizar qualquer transação. E não passe nenhuma informação sobre a sua conta por telefone, especialmente com estranhos. O registro das chaves é proibido de ser feito por telefone e deve ser realizado apenas no aplicativo próprio da instituição financeira.

2. Não faça transferências em wi-fi público

Não use wi-fi de shoppings, bares ou qualquer outro tipo de local público para realizar suas transferências. Dê preferência ao seu próprio poacote de dados. Pode haver vírus que coloquem em risco seus dados.

3. Senha é diferente de chave do Pix

A chave do Pix a qual deve ser direcionada uma transferência é uma coisa, a senha do banco para concluir a transferência do Pix é outra. Nunca passe sua senha para ninguém, nem mesmo para familiares ou amigos. A informação a ser compartilhada para a realização de uma transação é o seu CPF, algum e-mail, uma chave aleatória ou o número de telefone, conforme a sua escolha na hora de cadastrar o Pix no seu banco.

4. Atenção aos pagamentos por aproximação

Algumas maquininhas para esse tipo de transação podem ter sofrido alterações para roubar dados. Se notar algo suspeito, opte por outra forma de pagamento para garantir sua segurança. Crescem os registros de golpes por meio das maquininhas. No caso de pedidos pelo app do delivery, prefira pagamento com cartão cadastrado.

5. Atenção ao golpe da foto de amigos ou familiares no WhatsApp

Desconfie dos pedidos de Pix que chegam via WhatsApp, mesmo que eles venham de números de conhecidos de amigos e parentes ou tenham a foto dos mesmos. A clonagem das contas de Whatsapp tem acontecido com frequência e o recomendado é sempre desconfiar e confirmar por telefone ou pessoalmente a solicitação antes de efetuar o envio do dinheiro. Faça perguntas pessoais que um fraudador que não conseguirá responder. Não transfira no automático.

6. Cuidado com QR Codes falsos

Certifique-se de que o valor que consta no QR Code que apresentam para fazer a transferência e o destino do dinheiro estão corretos antes de realizar a operação. Um falso vendedor pode usar o QR Code para enganar o consumidor.

Fonte: invest.exame.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo conteúdo dos comentários é de responsabilidade de seus autores.

Não pretendemos limitar a sua expressão de ideias, contudo não use o espaço de comentários como palanque para proselitismo político, calunioso, ideológico, religioso, difamatório, para praticar ou difundir posturas racistas, xenófobas, propagar ódio ou atacar seus desafetos. caso aconteça poderá ser removido à discrição da gestão do site.

Post Bottom Ad

Condomínio Sol Lar Chácaras em Ponto Novo
Grupo JV Empreendimentos Pindobaçu