Plataforma Lattes sai do ar e pesquisadores temem perda de dados - Guia Ponto Novo

Ads

Clique Aqui e conheça nosso Guia Comercial

Plataforma Lattes sai do ar e pesquisadores temem perda de dados

Compartilhar

Os sistemas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência federal de fomento à pesquisa, estão há quatro dias fora do ar. Pelas redes sociais, o CNPq disse que está atuando junto ao Ministério da Ciência e Tecnologia para resolver o problema, mas que ainda não há previsão para retorno. Na plataforma estão armazenados dados de milhares de cientistas brasileiros.

De acordo com o órgão, a prioridade é restaurar o acesso aos currículos da Plataforma Lattes. O CNPq também suspendeu todos os prazos enquanto durar o problema.


O CNPq informa que identificou, neste sábado, a indisponibilidade dos seus sistemas e tem, desde então, trabalhado para solucionar o problema. Ainda não há previsão para o restabelecimento total. Todos os esforços estão sendo envidados para o pleno retorno o mais breve possível.
Imagem
340
76
Compartilhar este Tweet

Em comunicado, o CNPq informou que o problema que causou a indisponibilidade dos sistemas já foi diagnosticado e que a instituição tem equipamentos de TI e a migração dos dados, além de backups. Dessa forma, o órgão garante que não foram perdidos dados.

Nas redes sociais, muitos pesquisadores especularam que a causa do "apagão" teria sido a queima de um servidor, já que alguns foram informados pelo próprio CNPq que isso teria ocorrido e que os dados não teriam backup. O CNPq também informou que o pagamento das bolsas não será afetado.

A Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) relacionou o apagão ao contingenciamento de gastos que o órgão vem sofrendo. Segundo a associação, o CNPq tem o menor orçamento da sua história recente, com apenas 26 milhões para investir em fomento.

O Sindicato Nacional dos Gestores Públicos na área de Ciência e Tecnologia (SindGCT) também emitiu nota em que lembra a falta de investimentos na instituição.

"O SindGCT acompanha com preocupação o situação do CNPq e de seus sistemas. Acreditamos que tal problema não é conjuntural, isolado e fortuito. Trata-se do resultado do descaso e desmonte que o CNPq vem sendo submetido desde o governo Temer e que se aprofundou agora no governo Bolsonaro. A falta de recursos não tem atingido apenas os orçamentos para financiamento de bolsas e projetos de pesquisa. Ele tem prejudicado enormemente a infraestrutura do CNPq e de seu quadro de pessoal. Os sistemas, por falta de investimentos, atualização e de visão estratégica dos dirigentes tem se tornado um verdadeiro gargalo para a realização das ações do órgão", disse, em nota.

Procurado pelo Correio, o Ministério da Ciência e Tecnologia ainda não se manifestou. Fonte: Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo conteúdo dos comentários é de responsabilidade de seus autores.

Não pretendemos limitar a sua expressão de ideias, contudo não use o espaço de comentários como palanque para proselitismo político, calunioso, ideológico, religioso, difamatório, para praticar ou difundir posturas racistas, xenófobas, propagar ódio ou atacar seus desafetos. caso aconteça poderá ser removido à discrição da gestão do site.

Post Bottom Ad

Condomínio Sol Lar Chácaras em Ponto Novo
Grupo JV Empreendimentos Pindobaçu